Música para orar

Na comunidade que eu frequento disseram que viram em mim algo pra liderar o que chamam de ministério de louvor. Claro, recusei. Mesmo assim me consideram líder do movimento. Lá cantam as canções gospel, poucas vezes se cantam hinos. Bem, já que eu posso dizer e ser ouvida lá, taxativamente disse que no templo da congregação não cantaríamos músicas que não fossem bíblicas.

Existem músicas pra pular, pra celebrar qualquer energia que você queira extravasar. Essas que falam de fazer o inferno tremer ou de pular na cabeça do diabo. Ótima para isso. Ouça na sua casa, no templo cantemos as músicas que têm base bíblica, porque no templo não há apenas cristãos maduros desenvolvendo intimidade com Deus, há também os que estão chegando agora para a luz. Esses precisam de canções que os ajudem a compreender e a esconder  a Palavra de Deus nos seus corações. Fora do templo, eu digo que se pode ouvir de tudo. A boa música para orar é aquela que comove o seu coração ao constrangimento do arrependimento e da intercessão.

Posso ouvir um rap sobre a dura realidade da vida e ser levada a orar em favor dos que sofrem com as desigualdades sociais. Posso ouvir uma música sertaneja sobre o amor entre um homem e uma mulher e ser levada a orar pelos casais que conheço em intercessão. Posso ouvir um funk que exalte o sexo fora do casamento e ser levada a interceder pela vida dos cantores, compositores, músicos e fãs. Posso ouvir uma música gospel sem fundamento bíblico e ser levada ao arrependimento por compreender o sentimento poético do compositor em relação à sua vida cristã. Posso ouvir uma recitação do Alcorão e ser comovida a orar em favor de missões.

É claro que não precisamos de música para orar, aliás muita gente hora sem música alguma e isso vem dando certo há muitos séculos. Mas às vezes me perguntam sobre isso, então digo que música para orar é qualquer uma que te ajude a conectar seu espírito ao Espírito Santo de Deus. Sem restrições ou preconceitos. Não é a música em si, é o efeito que ela causa em você, é o quão sensíveis estão seus ouvidos para ouvir o clamor que existe por trás de cada música, seja ela cristã ou não.  Se isso te contamina, se domina a sua alma, se você perde o prazer pelas músicas cristãs, se te impede de louvar a Deus genuinamente com canções que o exaltem, então isso não te convém. Mas se a música secular te passa uma mensagem de oração, então ela te faz bem e te traz a um nível de intimidade e constrangimento pelos que se perdem nas trevas, e quem sabe além de te comover, ela não pode até mesmo te mover…

Escolhas que fazemos

"O que fazemos aqui ecoa na eternidade" (Maximus, em O Gladiador)

"O que fazemos aqui ecoa na eternidade" (Filme: O Gladiador)

John Wesley considerava perdido um dia em que não ganhasse uma alma pra Cristo. Aliás, ele tinha um compromisso com Deus de ganhar por meio de evangelização pessoal e direta uma pessoa por dia, desconsiderando as pessoas que se entregavam a Cristo nos seus sermões ouvidos por milhares de pessoas.

Eu na minha simplicidade reconheço a mediocridade das minhas intenções cristãs. Nunca me propus a um desafio desse porte, mas considero perdido um dia em que eu não tenha descoberto algo novo com Deus ou desenvolvido mais uma habilidade cristã.

Hoje, pensei em dizer que eu não preciso mesmo entender Deus, mas lembrei que eu já escrevi sobre isso aqui. Também que Deus responde as orações, mas eu também já disse isso aqui. Eu já passei dessas etapas, agora estou em um confronto diferente: o das escolhas que fazemos.

Um pouco de fé. Um pouco de sensibilidade. Um pouco de paciência. E muito compromisso. Vida com Deus é vida de compromisso. E não procure conselheiros, ninguém vai te entender. Se Deus te deu uma missão e você tem um compromisso com Ele, isso está acima de qualquer razão humana. Simplesmente eu tenho que fazer, mesmo que o mundo não entenda, tenho que fazer.

Eu escolhi isso para mim. Fui eu mesma quem escolheu. Há cristãos de vida simples, que apenas vão aos cultos nos domingos e evangelizam quando tem oportunidade. Eu escolhi uma vida diferente e gastei tempo com meu joelho no chão, correndo atrás de um propósito de vida maior, correndo atrás de ser instrumento afiado nas mãos de Deus para que Ele use como quiser. Max Lucado escreveu que Jesus escolheu os cravos. Por que eu deveria escolher uma vida simples?

Sou a estranha para os meus amigos. Aquela que se preocupa com coisas que não são deste mundo. Eu já quis fazer uma surpresa para Deus e fiquei triste por não poder distraí-lo na sua onisciência. Eu já perdi o sono tentando saber se o coração de Deus estava alegre ou triste com a humanidade. Eu já vivi muitas coisas diferentes na minha caminhada com Deus. Já tive coisas sobrenaturais acontecendo comigo. Quando conto, as pessoas riem, se espantam, se maravilham, mas nunca entendem. Ninguém tem mesmo que entender, hoje eu reconheço minha identidade e sei quem EU SOU é.

Meu problema atual é pensar na escolha que fiz e na vida que tenho levado. A quantas pessoas eu ainda vou eximir de uma maior intimidade com Deus simplesmente porque às vezes tenho vergonha de ser diferente? Não posso mais andar por esse caminho, afinal eu escolhi isso pra mim. Deus me confiou dons especiais porque eu aceitei o preço. Simplesmente, já não posso mais questionar a soberania de Deus sobre a minha vida. Ele me perguntou se eu queria tornar o Seu nome conhecido na Terra e eu disse SIM…

Descabelar, Missões e Sorvete de Flocos

Clamor pelas nacoes

E quando as lutas vêm para abalar o meu coração, então me rendo a Ti em sincera adoração. Eu descanso em Ti, eu me escondo em Ti, Jesus Amado da minh´alma. (Música "Amado da Minh'alma" - Clamor pelas Nações 4)

Sim. A vontade é esssa mesmo.

Eu me descabelo. Você se descabela. Ela se descabela. Nós nos descabelamos. Todos se descabelam. Há dias sinto vontade de arrancar um a um todos os fios de cabelo que tenho. Não que eu não tenha tentado, mas meus dedos já doem e eles não se acabam. Ainda me nascem mais todos os dias. Já disse Jesus que eles estão todos contados. Mas que há dias sinto vontade de arracá-los, sinto.

Casamento. Quem diria que isso seria tão difícil? Hoje eu vi o final de um filme chamado “Forças de um destino” (1999) com Sandra Bullock. O filme encerra com a citação de um bispo do século XVI chamado Jeremy Taylor:

O casamento tem em si menos beleza e mais segurança que a vida de solteiro. Tem mais cuidados, porém menos perigos. É mais festivo e mais melancólico. É mais cheio de tristezas e cheio de alegrias; está exposto a mais responsabilidades, porém é amparado por todas as forças do amor e da caridade e essas responsabilidades são prazerosas.

Eu gostei dessa citação. Resume bem um pouco dos meus problemas e a glória dos meus pequenos prazeres em levar a vida a dois como sendo UM .

Nosso ministério de missões começou a se levantar. Junto com ele vieram ataques do inimigo de todos os cantos. Mas, confio naquela palavra que diz que por sete caminhos ele fugirá. Vai sair correndo mesmo, porque eu custo me levantar. Eu me levantei, eu me comovi, mas acima de tudo, eu me movi. Agora estou na luta. Não vou recuar. Está sendo difícil, tão difícil que aceito doações de orações de quem quiser acatar a causa. Quanto maior o sofrimento que o inimigo tenta me causar, mais eu tenho me humilhado na presença de Deus e me refugiando em adoração durante as batalhas.

Madrugadas. Novamente estou acordando para guerrear bem cedo. Porque as ciladas do inimigo acontecem o tempo todo, é preciso orar sem cessar, vigiar e buscar ao Senhor enquanto é tempo. O interesse do nosso inimigo é destruir. Ele quer destruir nossos ministérios, matar nossos relacionamentos, roubar nossa esperança. Quanto mais envolvido comprometido se está na obra de Deus, maiores os ataques, mais no alvo se está. A saída é buscar refúgio em Deus e fortalecer-se cada dia a mais na fé.

Guardando meu coração para os maiores perigos que hão de vir, enfrentando os pequenos problemas por saber que Deus me treina para lidar com grandes adversidades, sigo tomando meu bom sorvete de flocos. Sorvete porque aqui só temos duas estações, estamos no verão que é muito quente e seco. De flocos, porque eu ainda não morri de tudo para mim mesma e tenho minhas preferências. Stay in Christ!