O desespero dos virgens

Ando impressionada com a quantidade de virgens com os quais tenho conversado nos últimos dias que estão desesperados por vivenciar o sexo sem necessariamente passar pelo casamento, visto que casar anda difícil, complicado e efêmero. Amigas com menos de 20 anos, com mais de 20 anos, na faixa dos 30… Alguns poucos amigos nesse conflito – porque homem jovem virgem é coisa rara de se ver. Pelos ensinamentos religiosos, os jovens virgens estão confinados a uma vida reclusa e assexuada. Privados de se tocarem a si mesmos e de tocarem uns aos outros. Separados do mundo do sexo até que casem.

Às vezes penso que era mais fácil nos tempos bíblicos. Por isso a Bíblia está recheada de recomendações a favor do sexo no casamento. Na juventude, quando os desejos sexuais se manifestam mais intensamente, os pais já providenciavam o casamento. (Aliás, até pouco tempo atrás era assim. Pense em como seus bisavós se casaram!)

O jovem não passava pelo drama da rejeição nem pela insegurança da solidão, uma vez que a meta era expandir Israel casando-se entre o povo judeu. Simples assim. Mande buscar Rebeca para Isaque. Diferente de hoje, que fica moça orando pedindo um Isaque na sua vida, mas, desculpe, você não é Rebeca, não vai ser trocada por uma dúzia de presentes e casar sem conhecer o marido. O resultado podia até ser um casamento problemático como o de Lia, uma vez que Jacó amava Raquel, ou o casamento de Ana, que era atormentada por Penina. Mas certeza que sexualmente estava todo mundo equilibrado.

Já pensei muito nesse assunto. Sabe, conheço quem se casou virgem e mesmo assim enfrentou problemas no casamento na área sexual desde o primeiro ano de casamento. Geralmente se ensina a castidade como se fosse uma apólice de seguro contra todas as avarias no casamento e isso não é absolutamente real. Sequer é bíblico.

Aqueles que provaram o amor “com sabor de fruta mordida” são reprimidos e se sentem culpados de um pecado imenso, como se Deus olhasse o tempo todo para quem está na pornografia, na fornicação, na carnalidade, no adultério e olhasse só de vez em quando para quem está na mentira, no roubo, na hipocrisia, na idolotria, na desonra. Pecado é sempre pecado e deve ser igualmente confessado. Uma vez confessado, Deus lança no mar do esquecimento. É o indivíduo que se lembra, é a sociedade que se lembra, porque os frutos de toda semente lançada aparecem.

Hoje em dia já nem opino mais. Sou leitora da Bíblia, gosto de ler diferentes versões e atualmente estou lendo a Biblia Hebraica da Editora Sêfer por recomendação de um querido rabino. Muita coisa que se ensina hoje nas igrejas não passa de religiosidade e costume. Muita coisa que se deixa de ensinar hoje nas igrejas, só se aprende lendo a Bíblia. Como diria o humorista @IrmaGraceKelly “Se a gente é o que a gente come vou comer a Bíblia pra ser mais abençoada e ungida”.

Indicações de Leitura

Para finalizar, vou indicar leituras. Essa semana eu li um artigo legal. Não basta ter santidade e só vivenciar o sexo após o casamento. É preciso que o sexo durante o casamento seja em santidade, se não for, há legalidade para divórcio. Pelo Teólogo Ed René Kivitz: Sexo é tão santo quanto casamento. Indico também um site, que não é tão bom quanto era o Sexxx Church, mas o Site Não Morda a Maçã fala especificamente sobre sexualidade aos solteiros. Leia com moderação. E não tem nada a ver com o assunto, mas com atualidades do meio business gospel, o melhor post sobre o Festival de Promessas da Globo que eu li foi o do Oziel Alves, dispensa a necessidade de eu falar algo a respeito.

Minhas dificuldades de fim de ano

Nunca senti assim. Mas agora é como se eu não tivesse família, é como se eu não tivesse nem amigos. Várias conquistas e portas abertas para que eu entre em um 2011 melhor do que foi meu 2010. Não dá… São muitas perseguições, são diversos problemas se acumulando, é a minha paciência se esvaindo na hora errada.

Estava completando minha leitura anual e fui anotando tudo de interessante que eu vi sobre esse assunto. As perseguições fazem parte daquilo que Deus quer para mim (I Ts. 3:3) . O Espírito nos avisa e nos prepara para o sofrimento quando abrimos mão de viver a nossa vida para viver o nosso propósito. (At. 20:22-24). Em meio a tantos problemas, é a fé uns dos outros que deveria me fortalecer, os irmãos se animam uns aos outros lembrando as promessas da Palavra, mas isso já não tenho. (I Ts.3:7, 5:11) Faz tempo que não me dou a uma comunidade de religiosos. Isso não é bom. Há tempos também que não me dou a perfeita adoração.

As perseguições e os sofrimentos devem ser enfrentados com paciência e fé. ( II Ts. 1:4; Hb. 10:36) Já não ando com tanta paciência para enfrentar seguidamente os mesmos problemas. Fé… eu queria acreditar agora como acreditei no princípio, mas as circunstâncias me fizeram desfalecer. Só mesmo se Jesus Cristo me der forças para terminar minha missão… (I Tm 1:12).

É… espero que 2011 não seja nem metade do que foi 2010, porque já não vou resistir a tanto por mais tempo.

O Silêncio de Deus

"Turn your ear to heaven and hear the noise inside..."

Alguém me recomendou meditar sobre o silêncio de Deus, por meio da leitura de Gênesis 1, 2 e 3. Na verdade, acho que são as passagens que Deus mais fala em toda a Bíblia. Por meio da fala, Deus realiza a criação do mundo, dos seres, do homem e da mulher. Por meio da fala, Deus dita as regras e também dita as consequências do pecado.

Deus passeava pelo jardim à tardinha. Era possível ouvir sua voz. Ele gostava de conversar com o homem e com a mulher. Mas hoje é distância, é separação, hoje impera o silêncio.

Nunca mais Deus se comunicou com tanta liberdade assim com as pessoas. Talvez Moisés seja quem mais chegou perto do que Adão e Eva experimentaram. Ele ouvia diretamente a voz de Deus e até viu sua canela uma vez.

Os profetas no Antigo Testamento, ouviram de Deus apenas as revelações e direções para a vida do povo hebreu. Já não era um bate-papo de amizade. Com o Petencostes — e todo o movimento petencostal dos nossos dia — as pessoas podem experimentar ouvir a voz de Deus, às vezes no seu interior por meio do Espírito Santo, às vezes em “voz audível” como relatam alguns cristãos. Eu não duvido de nada, até porque eu sei bem do que eu já vivi. Mas por quê será que nunca mais foi como no Éden? Por quê se instalou o silêncio de Deus?

Sinalizando uma marca na minha vida

Jesus me ajude. Tomei uma decisão à qual seguiu-se uma atitude. Vejo no reino sobrenatural os seus efeitos, mas não os tenho com clareza antecipados na materialidade. Nublados estão meus pensamentos, oscilando está minha decisão, querendo recuar na atitude. De agora para frente assumo-me: nada sei. Troquei a forma de escrever a minha história. Estou marcada.

Foram meses de busca ao Senhor. Por meses o Paizinho me disse o que eu deveria fazer e somente agora resolvi agir. Lamento não saber a forma correta de fazer as coisas. Lamento não conseguir fazer de uma forma que todos se agradem. Lamento não ser a realização dos sonhos de todos para minha vida, mas eu estou seriamente tentando ser a realização do sonhos de Deus para minha vida.

Tentando ser mais parecida com o projeto de Deus, talvez eu me afaste um pouco das expectativas do milhão de pessoas que estão próximas de mim e que têm o direito de tentar interferir em minhas decisões. Mas certas escolhas são minhas. Sempre serão. O preço que eu pago e pagarei por cada escolha, só eu sentirei. Os frutos, só eu colherei. Se doces ou amargos, só eu saberei.

Abrir mão de tudo: Conforto, Segurança, Sensatez. Sair da normalidade: Arriscar, Sonhar, Ousar. Loucura ou não, Jesus me ajude e os anjos montem guarda. Das coisas que planejei para minha vida, muitas alcancei. Da incompletude, me conscientizei. Dos sonhos, me resignei à vontade Suprema. Do chamado, chega de fugir! Estou resolvendo a minha vida e essa atitude, ainda que mereça ser questionada por tudo e todos, sinaliza mudanças.

Sobre insegurança

Alguma coisa se moveu no céu ontem e despertou minha atenção.

Tem algo acontecendo e eu não sei o que é, não tive discernimento.

Estou insegura. E insegurança é falta de amor verdadeiro no coração, é semente de medo. Hoje preciso de oração.

Desistir, Resistir ou Insistir?

Sabe aquela hora em que a direção certa parece fugir dos seus pés, as palavras certas parecem fugir da sua boca e o sentido das coisas se esvaecem? É por aí… A Deus peço prudência e sabedoria para que tudo se resolva da melhor forma e eu não enlouqueça. Bate uma tristeza que me faz identificar com a poética Sinédoque. Na verdade, eu não me sinto tão triste assim… Só sei que estou um tanto caidinha, não tão radiante como é o meu comum. Tudo vai passar, como aponta a canção que me inspirou hoje, eu sou capaz de me curar das surras que o mundo me dá, de prosseguir e deixar o que passou pra trás. (Polo, Fresno)

Conversando com o Pai

“Deus, eu sei que a minha identidade está em Ti. Sei que a minha existência só tem significado em Ti e que fora de Ti nada sou. Mas eu queria que todos tivessem a Sua Santidade como identidade. Você sabe que eu queria mesmo era ser a Expressão do Seu Ser, só que eu sei que não cabe a mim ser Jesus novamente. Então eu quero ter sua essência aqui na Terra, eu quero que as pessoas Te vejam refletido em mim, porque eu sei quem EU SOU em você e sei que posso refletir sua glória. Mas Deus eu queria que todos fossem assim… Deus, os outros não têm Te ouvido? Ou eles ouvem e fingem não ouvir? Deus, eu quero muito que todos vivam contigo na unidade que eu vivo. Ah, como eu quero que o mundo retorne à adoração, porque eu sei que a adoração é o caminho. Deus, restaure a adoração dos homens!! Me use, eu me disponho. Sei que sou falha e que é um negócio arriscado pra você confiar em mim, mas se você quiser um sacrifício é só pedir, o que pedir eu lhe darei. Mas me use Deus como instrumento de restauração, não suporto mais a hipocrisia e a incredulidade do povo. Senhor, se pelo menos um se voltar à Ti, se somente um retornar à adoração, eu me alegrarei, porque então seremos 2 a te buscar de coração.”

[Eu, hoje, no ônibus. Chorando e conversando com o Paizinho, especialmente quebrantada.]

Conversávamos sobre a necessidade que temos sentido de restaurar a adoração nos templos, que deveriam ser, por excelência, a Casa de Deus. Mas tem tantas pessoas que ainda esperam Deus vistá-las nos templos, que oram chamando a presença, ou mais trágico, a visita do Espírito Santo. Eu sei que Ele está em mim, Ele é em mim e EU SOU nele. E eu só existo por causa dEle. Eu tenho tanta vontade de chorar quando escuto essas barbaridades…